quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

IN 51

Bom, agora o carnaval se foi e o Brasil começa realmente de fato, o ano de 2010, sem mais nenhuma desculpa.
E pensando nisso, vamos abordar agora um pouquinho de legislação sanitária para a produção de leite, a Instrução Normativa 51, trocando em miúdos, vamos relacionar seus pontos principais e dar algumas dicas para o produtor.
Na realidade, qual a função da IN51?? Ela normatiza o Programa Nacional de Melhoria da Qualidade de leite- PNQL e tem como objetivo melhorar a qualidade do leite para que a população possa comsumir produtos lácteos mais seguros e nutritivos e o produto possa acessar novos mercados.
São três pontos principais:
1. MELHORIA DA PRODUÇÃO DA MATÉRIA PRIMA - Na ordenha verificar:–1.1 Limpeza, qualidade da água corrente, fontes de mau cheiro, moscas; –1.2. Ventilação & Iluminação –1.3. Estado Sanitário do Rebanho: controle de mamite, vacinações, programa de controle de brucelose/tuberculose, uso de antibióticos–1.4. Condições de saúde / hábitos higiênicos do ordenhador–1.5. Ordenha manual / mecânica–1.6. Manejo de ordenha–1.7. Programas de limpeza & sanitizaçãode equipamentos / utensílios–1.8. Produtos p/ limpeza & sanitização: verificando procedência /concentração;
2. CONSERVAÇÃO DA MATÉRIA -PRIMA:–2.1Higienização do vasilhame;2.2 Meios e métodos de filtração; 2.3. refrigeração–Abrigo para latões; 2.4. tanques de refrigeração–Facilidade de acesso do veículo coletor–Temperatura: máximo 7oC até03 h após final ordenha–Período de estocagem na propriedade: máx48 h–Tanques de refrigeração: expansão direta / imersão–Recomenda-se usar no máximo 60% da capacidade nominal do tanque de imersão–
3. CONDIÇÕES TRANSPORTE: 3.1. distância / tempo /veículo; 3.2. granelização; 3.3. higiene dos veículos.

Para o produtor a higiene na produção É FUNDAMENTAL, pois o laticínio avalia a qualidade do leite pela CONTAGEM BACTERIANA TOTAL (CBT), estas bactérias são provenientes da glândula mamária, ou ainda da contaminação do leite durante a ordenha, nos latões, no tanque de expansão ou no transporte.
A vaca com mastite produz menos leite, gerando um prejuízo para o produtor, requer tratamento ocasionando mais gastos com medicamentos, e tem alta CCS- Contagem de Células somáticas que deprecia o produto, portanto, quando se está produzindo um alimento tão nobre como o leite, é de fundamental importância o controle da mastite. Segue abaixo um vídeo com algumas dicas interessantes.

video

0 comentários:

Postar um comentário